O SER E O NÃO SER

Ser ou Ser-

“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.” Clarice Lispector

Haja trabalho de desconstrução até criarmos a consciência de que o essencial é simples. Como nos apegamos a exigências infrutíferas, a cobranças, a expectativas, e nada disso nos leva a nada, a lugar algum. Assim, passamos pela vida sem viver, preocupados com reputação e auto imagem; com o que os outros pensam de nós e com o que queremos que pensem… E assim deixamos de SER.

Quão infantis nós somos, não é verdade? Quão crueis somos conosco mesmos! Nos negamos o melhor da vida por crermos na importância de uma imagem cheia de inverdades, por pura crença de que devemos obedecer a convenções que, sabe Deus, quem criou. Certamente não foi o Grande Arquiteto do Universo, que é A VERDADE, a força motriz de tudo que É, não do que não é.

Não podemos qualificar como divino o que não é. Do contrário teríamos que concordar com Parmênides de Eleia que dizia que o ser é o não ser. Mas é exatamente assim que somos: o não ser, já que não somos; já que não nos permitimos ser; já que não nos mostramos como somos, nem permitimos que os outros o façam! ‘O outro tem que ser como eu quero e espero que ele seja, não como ele é’.

Já pararam para refletir sobre isso? Como exigimos que os outros sejam uma grande farsa! Sim!!! Uma imensa mentira porque espelhos nos incomodam, principalmente quando refletem a verdade…

Lembro-me agora de um trecho de um livro do José Ângelo Gaiarsa (O Espelho Mágico – Editora Summus) onde ele pedia que imaginássemos que um retângulo desenhado em uma das páginas do livro era um espelho e que nos olhássemos nesse espelho e fizéssemos uma perguntinha muito simples: “Você me conhece?” (com outras palavras, é claro)…

“Quando olhamos para o espelho, fácil e inconscientemente desfazemos expressões que poderiam desdizer das que os outros vêem. Se prestássemos atenção àquela face, na certa estranharíamos (…) Por isso olhamos pouco para o espelho. Quando olhamos fazemos a cara que nos apraz ou vemos a cara que nos convém”. (J. A. Gaiarsa in O Espelho Mágico)

Todos os espelhos são mágicos. Neles só vemos o que queremos ver… Se ficamos atentos não nos reconhecemos naquela imagem, lamentavelmente. Nossa LUZ nos amedronta! E só a luz é refletida…

Somos mesmo idiotas sociais, como bem dizia esse sábio psiquiatra chamado Gaiarsa.

Vou parando por aqui porque meus neurônios não me permitem ir além em minhas divagações… e posso falar bobagem e agredir a muitos… Se bem que não é minha preocupação agradar a todos e tudo que é dito, verdade ou mentira, sempre incomoda a alguém. Nunca consegui ser muito diplomático. Não nasci para viver em palcos e o único personagem que conseguiria interpretar seria eu mesmo.

Até breve!

Abraço a todos os amigos.

Carlos Alberto de França Rebouças Junior

Fortaleza, 29 de agosto de 2011.   20:55 horas – GMT -3

P.S.: Gaiarsa morreu no dia 19 de agosto de 2010, aos 90 anos de idade.

Anúncios

Sobre carlosreiki

Bacharel em Direito, Teólogo, Phd em Psicanálise, Pós-graduado em Psicanálise com Especialização em Constelação Sistêmica Familiar, Dr.H.C. em Constelação Sistêmica Familiar, Dr.H.C. em Psicanálise Clínica, Gestalt-terapeuta; Praticante, Mestre e Terapeuta Reiki.
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O SER E O NÃO SER

  1. Mariangela Lyra disse:

    Olá, meu querido amigo..
    Que lindo artigo!… É verdade, só se chega a simplicidade com muito trabalho e voltando a ser criança nos seus gestos simples, sem articulações ou manipulações, leva dentro de si a pureza, a humildade, uma total confiança em si mesma e no mundo que a rodeia porque não julga e não tem que dar satisfações. Ela é o que é. Ai como seria bom, conseguir ficar nesse estágio: birra, alegria, despreocupação..
    Muito bom, amigo querido, lhe tenho com muito carinho dentro de meu coração, viu? E, olhar no espelho, não é pra todo mundo, não.. como é dificil enxergar seu lado sombra…
    I love You
    Mary

  2. senhoritavera disse:

    Platão, em resposta aos sofistas, disse que o não-ser é o “esconderijo” do ser. Uma vez questionado o ser, ele é, sob a luz ou escondido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s